São Paulo - Fale conosco sem gastar pulsos
caso ainda não tenha Skype instalado
CLIQUE AQUI
Mande um E-Mail
vendas@construtens.com.br

ATENDIMENTO DE SEGUNDA A SEXTA DAS 8:30 as 12:30 E DAS 13:30 as 17:30 hs

Ir para Home »
Você está Dicas para fundação


DICAS PARA FUNDAÇÃO    
 
CONHEÇA OS TIPOS DE FUNDAÇÕES MAIS EMPREGADAS PARA SUSTENTAR AS CASAS E PRÉDIOS
Os exemplos aqui apresentados são meramente ilustrativos e não podem ser utilizados na prática. A definição do tipo de fundação só pode ser realizada por profissionais habilitados e registrados no CREA - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia. Os exemplos apresentados servem para os internautas, e principalmente os estudantes, terem uma idéia da variedade de tipos de fundações.
O QUE É FUNDAÇÃO
A Fundação é o alicerce, o que segura a casa no lugar. Fundação é a obra, geralmente enterrada, que serve para suportar a casa. A fundação pode ser feita de diversos tipos de materiais e dependendo do tipo  de terreno encontrado no local das obras, adota-se tipos diferentes de fundações. Veja os tipos mais comuns:

TIPO DE FUNDAÇÃO

CARGAS
(peso do prédio, da ponte, etc.)
RESISTÊNCIA
(tipo de solo, capacidade de carga, etc.)
BALDRAME Casas Térreas Solo firme e seco
RADIER Casas Térreas / Sobrados Solo pouco firme e firme
SAPATA Casas Térreas Solo pouco firme
Sobrados Solo firme e seco
ESTACA BROCA Sobrados e Prédios Baixos Solo firme
STRAUSS Prédios Baixos Solo pouco firme
PRÉ-MOLDADA Prédios Altos, Pontes e Viadutos Solo pouco firme ou com presença de água
TIPO FRANKI Prédios Altos, Pontes e Viadutos Solo pouco firme
TUBULÃO A CÉU ABERTO Prédios Altos, Pontes e Grandes Viadutos Quando o lençol freático é profundo
A AR COMPRIMIDO Prédios Altos, Pontes e Grandes Viadutos Quando o lençol freático é raso ou quando a obra é dentro de rio, lagoa ou mar.

 
FUNDAÇÃO TIPO BALDRAME
O baldrame é o tipo mais comum de fundação. Constitui-se de uma viga, que pode ser de alvenaria, de concreto simples ou armado construída diretamente no solo, dentro de uma pequena vala. É mais empregada em casos de cargas leves como residência construídas sobre solo firme. O alicerce é a base que sustenta a casa, dá solidez e transmite para o terreno toda carga (pêso) da casa (paredes, lajes, telhados,etc.). Um alicerce bem feito evita o surgimento de trincas nas paredes, evita o surgimento de umidade na parte de baixo das paredes.
Veja, como deve ser feito um bom alicerce.

ROTEIRO para confecção de um bom alicerce:

1 - Os alicerces em alvenaria só podem ser empregados para casas térreas e em terreno firme. Se o terreno não for muito firme, isto é, for formado por barro muito úmido ou argila mole ou solos com presença de água, o alicerce deve ser feito com vigas baldrames de concreto armado.

2 - Não trabalhe em dias chuvosos. A fundação vai ficar uma porcaria e vai trazer problemas de trincas e infiltração de umidade para o resto da vida.

3 - Abrir uma vala da largura um pouco maior que a largura do alicerce.As paredes internas da casa serão de 1/2 tijolo. Então o alicerce deve ter pelo menos 1 tijolo de largura. Se o terreno não for bem firme, o alicerce deve ser mais largo, isto é, ter 1 e 1/2 tijolo de largura. As paredes externas da cas serão de 1 tijolo. Então o alicerce deve ter 1 e 1/2 tijolo de largura. Se o terreno não for bem firme, o alicerce deve ser mais largo, isto é, ter 2 tijolos de largura.

4 - A vala não pode ter menos que 40 centímetros de profundidade. Normalmente, os terrenos naturais apresentam, na camada superficial, muitas raízes de plantas e de árvores. Esta camada não serve para assentar o alicerce. Aprofundar até encontrar terreno firme sem raízes. Em terrenos aterrados não é possível o emprego de fundação direta.

5 - Em terrenos inclinados, o alicerce segura a casa, não deixando ela "escorregar". Aprofundar a vala até encontrar terreno bem firme. Em terrenos bastante inclinados, empregar estacas na fundação. Aprenda medir a DECLIVIDADE do terreno:

COMO MEDIR A DECLIVIDADE DO TERRENO

1 - Escolher 2 pontos quaisquer no terreno, por exemplo pontos A e B da figura acima.

2 - No ponto mais baixo, cravar um pontalete. Se não tiver pontalete, serve caibro, sarrafo ou outro material que seja firme.

3 - Com o auxílio de uma mangueira de água, transportar o nível do ponto B para o ponto A, fazendo uma marca no pontalete.

4 - Medir a distância horizontal entre A e B. No caso do exemplo acima, a distância horizontal medida foi de L = 13,40 metros.

5 - Medir a distância vertical entre o chão e a marca feita no pontalete. No caso do exemplo acima, a distância vertical medida foi de 74 centímetros ou 0,74 metros.

6 - Dividir a distância vertical pela horizontal e multiplicar o resultado por 100:

D = V / H * 100 = 0,74 / 13,40 * 100 = 5,52 %.

A declividade do terreno do exemplo acima é de 5,52 porcento.

6 - Até 10% de declividade e sendo o terreno bem firme, você pode pensar em fundação direta.

7 - Para terrenos com mais de 10% de declividade, a fundação não pode ser direta mas sim profunda e ainda sobre estacas. Algumas das estacas deverão ser inclinadas para segurar a casa contra o escorregamento. A profundidade das estacas deve ser tal que atinja a camada firme do terreno.

8 - Para terrenos com mais de 20% de declividade há risco de escorregamento entre as camadas geológicas do subsolo. Nestes casos não há nada que consiga segurar a casa contra o escorregamento, pois o próprio terreno tem a tendência de escorregar. Neste caso a casa não poderá ser construída neste local.

9 - Examinar o fundo da vala. A terra deve apresentar-se firme, sem manchas e homogênea. Caso haja ninhos de formiga, remover e aprofundar um pouco mais a vala.

10 - Apiloar o fundo da vala com um soquete.Você mesmo poderá confeccionar um soquete, usando uma lata de tinta, tipo galão, cheia de concreto e com um cabo de vassoura infincada.

11 - Aplicar uma camada de concreto magro de cerca de 5 centímetros. O concreto magro é feito de cimento, areia, brita e água. Não vai ferro, só o concreto.

12 - Levantar a alvenaria do alicerce até a cota final. A cota do piso interno deve sempre ser mais alta que a cota do piso externo. O ideal é em torno de 17 centímetros (1 degrau de altura).

13 - Fazer a impermeabilização do alicerce conforme figura acima, aplicando uma camada de massa impermeabilizante em cima e nas laterais do alicerce. Esperar secar bem. É essa camada de impermeabilizante que vai impedir a subida da umidade do solo pelas paredes.

14 - Depois que a camada de impermeabilização secou bem, aplicar duas demãos de impermeabilizante betuminoso. (Exemplo: o produto chamado NEUTROL fabricado pela Otto Baumgart). Aplicar seguindo as recomendações do fabricante do produto. Esperar secar bem.

15 - Fazer o reaterro do terreno, no lado de dentro e no lado de fora.

16 - Confeccionar o aterro interno. Usar terra de boa qualidade, sem mato e madeira. Entre uma terra fina e uma grossa, prefira a terra grossa. Se possível, misture um pouco de areia grossa, pedrisco, brica ou seixo rolado. Nivele na altura da camada de impermeabilização do alicerce. Soque tudo muito bem.

17 - Confeccionar a alvenaria da parede da casa. Nas duas primeiras fiadas da alvenaria da parede, empregar argassa de assentamento com adição de impermeabilizante. (Exemplo: produto chamado VEDACIT da Otto Baumgart). Essas camadas de impermeabilizante é que vão impedir a subida da umidade pelas paredes. Em dias de chuva é comum os respingos da chuva encontrarem uma fresta para se infiltrar na parede.

18 - Depois de cobrir a casa você pode confeccionar o contrapiso interno da casa. Veja no desenho acima, a posição exata do contrapiso. Não faça como muitos que colocam o contrapiso na mesma altura que a camada de impermeabilização. ISSO VAI DAR MUITO PROBLEMA:



CUIDADO! Este desenho mostra como NÃO DEVE SER feito. O certo é o desenho lá em cima, no começo da página.

FUNDAÇÃO TIPO SAPATA

A sapata é preferida onde o baldrame não é recomendado, quer pelo peso do prédio ou pela baixa resistência do solo. A sapata é um bloco de concreto armado construído diretamente sobre o solo dentro de uma escavação. Isto acontece quando o peso da casa é grande (como em sobrados) ou quando a casa é construída em terrenos fracos. Neste caso deverá ser adotada a sapata como fundação. A sapata pode ser do tipo SAPATA CORRIDA ou SAPATA SIMPLES.

SAPATA CORRIDA

CONSTRU-TENS- VENDA DE AÇO PARA CONSTRUÇÃO, VIGAS, BALDRAMES, SAPATAS, VERGALHÕES, CULUNAS PRONTAS, AÇO CORTADO E AMARRADO
A sapata corrida é contínua, isto é, percorre todo o comprimento da parede. A vantagem no custo da sapata corrida é que ela pode ser confeccionada em alvenaria e não necessita de vigas e pilares para a sustenção do peso da parede e do telhado, porém vale ressaltar que a alvenaria deve ser toda com tijolo maciço, com amarrações entre as paredes em "L" e "T", com forro de gesso, estuque ou lambril, em caso de vãos pequenos podendo até utilizar laje pré.

Na tabela acima, o número 7.500 kgf/m significa que o baldrame de 1 e 1/2 tijolo sobre solo de argila mole vai aguentar 7.500 kgf/m, isto é, 7.500 kilogramas por metro linear de sapata. Exemplo: Se a parede tiver 4 metros de comprimento, o peso que a sapata vai aguentar será de 4 X 7.500 = 30.000 kilogramas.

SAPATA SIMPLES

CONSTRU-TENS- VENDA DE AÇO PARA CONSTRUÇÃO, VIGAS, BALDRAMES, SAPATAS, VERGALHÕES, CULUNAS PRONTAS, AÇO CORTADO E AMARRADO
A desvantagem no custo da sapata simples em comparação a sapata corrida, é que ela necessita de baldrames, vigas e pilares (colunas) para fazer a distribuição e a concentração do peso das paredes, laje e telhado, porem é o tipo de fundação que proporciona maior resistência em casos de moradias com mais de um pavimento (sobrados).

RADIER

CONSTRU-TENS- VENDA DE AÇO PARA CONSTRUÇÃO, VIGAS, BALDRAMES, SAPATAS, VERGALHÕES, CULUNAS PRONTAS, AÇO CORTADO E AMARRADO
Laje RADIER: a rigor, este tipo, com cerca de 1,5m de espessura, só é utilizado em grandes obras. Porém, é comum chamar de Radier uma laje mais fina, com ± 12cm, colocada imediatamente abaixo da superfície de solos firmes, ou uma fundação usada em solos pouco resistentes, como argilas orgânicas ou areias fofas, nesses casos em obras de pequeno porte é aconselhável utilizar os sistemas de Baldrames / Sapatas com custos menores. Para obra em terreno pouco firme é preciso a retirada do solo frágil e fazer uma caixa oca, dependendo do tipo de solo pode chegar a 2mts.de espessura, preenchendo essa caixa com bica corrida ou brita compactando-a, após isso entrar com a laje RADIER, onde se apóia a casa.
ETAPAS A SEREM ANALISADAS PARA DETERMINAR A FUNDAÇÃO (Alicerce)

1 - Ao definir o modelo, tamanho dos comodos e etc., calcule o peso de cada parte da casa.
COMO MEDIR O PESO LINEAR
(isto é, o peso em uma faixa de 1 metro de cada parte da casa)

CAPACIDADE DE CARGA DA SAPATA CORRIDA EM FUNÇÃO DO TIPO DE SOLO

CAPACIDADE DECARGA LINEAR
(Quanto suporta por metro linear)
Sapata corrida em solo de ARGILA DURA
(3 kgf / m2)
Sapata corrida em solo de ARGILA MOLE
(2 kgf / m2)
Baldrame com alvenaria de tijolo de barro maciço de 1 tijolo.7.500 kgf / m5.000 kgf / m
Baldrame com alvenaria de tijolo de barro maciço de 1 E 1/2 tijolo.11,250 kgf / m7.500 kgf / m
Baldrame com alvenaria de tijolo de barro maciço de 2 tijolo.15.0000 kgf / m10.000 kgf / m

PARTE DA CASAPESO LINEAR
Telhado com estrutura de madeira e telha de barro do tipo francesa1.064 kgf / m
Telhado com estrutura de madeira e telha ondulada de fibro-cimento.408 kgf / m
Forro de estuque.220 kgf / m
Parede em alvenaria de tijolo de Barro assentado em 1/2 tijolo com revestimento nos 2 lados.675 kgf / m
Parede em alvenaria de tijolo de Barro assentado em 1 tijolo com revestimento nos 2 lados.1.390 kgf / m
Laje de piso com carga de pessoas e móveis de 160 kgf / m2.1.440 kgf / m
EXEMPLO 1- Casa Térrea:

PAREDES EXTERNASPeso do Telhado1.064
Peso do Estuque220
Peso da Parede de 1 tijolo1.390
TOTAL2.674 Kgf / m
PAREDES INTERNASPeso do Telhado0
Peso do Estuque220
Peso da Parede de 1/2 tijolo675
TOTAL895 Kgf / m
EXEMPLO 2- Sobrado:





PAREDES EXTERNASPeso do Telhado1.064
Peso do Estuque220
Peso da Parede de 1 tijolo1.390
Peso do Piso (laje)1.440
Peso da Parede de 1 tijolo1.390
TOTAL5.504 Kgf /m
PAREDES INTERNASPeso do Telhado0
Peso do Estuque220
Peso da Parede de 1/2 tijolo675
Peso do Piso (laje)1.440
Peso da Parede de 1/2 tijolo675
TOTAL3.100 Kgf /m
 
2 - Verifique se o terreno onde vai ser construída a casa possui um Solo de Argila DURA ou um Solo de Argila MOLE, conheça os tipos mais comuns de solos segundo a Norma Brasileira.


Tabela de Pressões Admissíveis da Norma Brasileira NBR-6122 (NB-51) Projeto e Execução de Fundações.

TIPO DE SOLO CARACTERIZAÇÃO CAPACIDADE MÁXIMA [kgf/cm2]
a) Rocha viva, maciça sem laminações, fissuras ou sinal de decomposição, tais como gnais, granito, diabase, basalto. 100
b) Rochas laminadas, com pequenas fissuras, estratificadas, tais como: xistos e ardósias. 35
c) Depósitos compactos e contínuos de pedras de várias rochas. 10
d) Solos Concrecionados. 8
e) Pedregulhos compactos e misturas compactas de areia e pedregulho. 5
f) Pedregulhos fofos e misturas de areia e pedregulho, areia grossa, compacta. 3
g) Areia grossa fofa e areia fina compacta. 2
h) Areia fina fofa, submersa. 1
i) Argila Dura (terrenos altos, secos e de terra vermelha) 3
j) Areia Rija (terrenos altos e secos) 2
k) Argila Média (terrenos baixos, úmidos mas sem presença de água) 1
l) Argila Mole (terrenos baixos com forte presença de umidade) Necessitam de estudos do solo local.
m) Argila Muito Mole (terrenos baixos, alagados, próximo de córregos e lagoas)
n) Aterros
 
Capacidade Máxima ou Pressão Adminissível é a maior pressão que o solo aguenta. Mais que isso ele rompe ou recalca além do recalque admissível. Em muitos tipos de edificações, o que preocupa não é se o solo vai aguentar ou não o peso da casa e das coisas que vaõ ser colocadas dentro da casa pois os equipamentos que vão ser instalados são muito mais exigentes que isso. É o caso, por exemplo, de indústrias gráficas, de indústrias que possuem linhas de montagem em que os equipamentos precisam estar bem alinhados não podendo ocorrer nenhum milimetro de recalque (afundamento) do solo. Caso haja um recalque, mesmo que minúsculo, o equipamento poderá não funcionar adequadamente.

2.1 - A resposta é SIM, isto é, o terreno é alto, firme e seco:

1 - A fundação pode ser em Sapata Corrida:

2.2 - A resposta é NÃO, isto é, o terreno não é seco mas não chega a empossar água.

1 - A fundação pode ser em Sapata Simples, Chame um Engenheiro Civil para calcular a Sapata ou prefira a fundação sobre Estacas.:

FUNDAÇÃO TIPO ESTACA


A estaca é empregada em solos fracos ou em prédios de altura média. As estacas podem ser moldadas no local ou pré-fabricadas. As estacas podem ser de concreto simples, concreto armado, de madeira ou metálicas. A dificuldade é que necessita-se de um equipamento, o Bate-Estaca.

CAPACIDADE DE CARGA DAS ESTACAS MAIS COMUNS

SEQ TIPO DE ESTACA DIÂMETRO CARGA DE TRABALHO
[TONELADAS]
COMPRIMENTO MÁXIMO TIPO DE SOLO
1 MADEIRA Ø = 15 cm 10 5 PERMANENTEMENTE SUBMERSO
2 Ø = 20 cm 15 10
3 Ø = 30 cm 30 15
4 BROCA Ø = 15 cm 7 4 SOLO COESIVO
5 Ø = 25 cm 10 6
6 STRAUSS Ø = 20 cm 10 12 ARGILA OU AREIA SEM ÁGUA
7 Ø = 30 cm 25 15
8 PRÉ-MOLDADA Ø = 20 cm 20 10 QUALQUER TIPO DE SOLO
9 Ø = 25 cm 30 12
10 Ø = 30 cm 40 16
11 Ø = 35 cm 60 20
12 AÇO

Calcular conforme carga e caracterísiticas do solo local.

SOLO ROCHOSO
 

ATENÇÃO! A escolha do tipo de fundação deve ser feita por um Profissional do ramo de fundações como um Técnico de Edificações, Engenheiro Civil ou Geólogo, nossas informações são no intuito tão somente de informar, os tipos de fundações que podem ser aplicadas.